Filme original do Netflix – de 2018

Direção de David M. Rosenthal

apocalipse

Já elogiei tanto as produções originais deste canal que nem sei… 🙂

Mas isso não significa que todos são maravilhosos. Mas calma, estou me adiantando.

Este filme tinha tudo para ser um grande filme: a produção também é ótima, fotografia excelente, atores impecáveis e um cenário apocalíptico sempre atraente. Mas…

Bom vamos a sinopse primeiro: Theo James (o Quatro da Série Divergente) é casado com Kat Graham (The Vampire Diaries), estão grávidos e moram em Seattle. Ele vai até Chicago a negócios e também para visitar os pais da moça, e rola um stress com o paizão Forest Whitaker (fera! Participou de Platoon, O Grande Dragão Branco, e do recente Pantera Negra).

No dia seguinte, rola um black out geral que ninguém sabe explicar e aí maridão e pai decidem pegar estrada para salvar a querida que está do outro lado do país.

Filmes de road-trip exigem personagens muito muito muito consistentes, porque senão fica chato. Ou cenas fabulosas de ação, ou um drama incrível que te faz chorar e tudo o mais.

Mas… Tcharãmmmm. Nada disso acontece.

O conflito entre os dois homens é inconsistente, o casal principal que poderia trazer romance e cenas idílicas também não acontece, nem com aquela química louca.

O apocalipse não é explicado e salvo alguns momentos de suspense, a gente não sabe o que está acontecendo e não há nenhuma lógica, apenas o exercito perto de Seattle e falta de energia. Claro, tem um povo com medo, mas nem é tanto medo assim.

Então o filme meio que se arrasta por mais de duas horas, e confesso que adiantei em algumas partes porque, na boa, perdi a paciência.

Então, é isso, não perca tempo, porque não vale o esforço. A não ser pelo Theo James que é gatinho mesmo… hahahahahah