Lucão

Editora Planeta

São Paulo/SP  – 2018 – 1ª Edição

256 páginas

DSCN5673

Primeiro romance do poeta Lucão, conhecido nas redes sociais por suas poesias curtinhas. Quer dizer, eu o conheci assim. Brinco comigo mesma que são poesias de minuto. Exemplo:

“a poesia é o vento

que sacode a alma

das pessoas.” @lucaoescritor

Ele já publicou dois livros de poesia, que não tenho ainda, mas estava curiosa sobre o romance. Aliás, ele conseguiu um feito, porque fazer sucesso com poesia no Brasil, nos dias de hoje? Está de parabéns!

O livro veio como inspiração de sua viagem em 2016, quando tentou fazer o Caminho de Santiago de Compostela. Acabou não conseguindo e voltou no ano seguinte.

Para quem segue o moço no Instagram, ele postou fotos incríveis das duas viagens, e tenho certeza que, assim como eu, muitos seguidores compraram o livro só pra ter a viagem assim, ao alcance da mão.

Segundo descrição do autor, em 2016 ele teve contato com a história de amor de Rodrigo e Sol, mas teve que finalizar a viagem por conta de uma lesão. Voltou mais preparado ao Caminho no ano seguinte, e apimentou, por assim dizer, a história conforme está escrita.

Então Luca, o personagem principal, começa a história ainda no aeroporto de Guarulhos, embarcando para a Espanha. E, amores, para quem já viajou sozinho, a empatia é imediata. O medo, a ansiedade, a alegria, o pânico, tudo ali, descrito em poucas palavras. Nos fazendo entrar na história imediatamente.

No primeiro dia do Caminho, Luca conhece Rodrigo, e acaba se conectando emocionalmente a ele. Rodrigo se apaixonou por Sol, mas os dois se perderam no Caminho, então ele segue desesperado para encontrá-la. Luca entra nessa também, mas acaba perdendo Rodrigo por não dar conta do ritmo.

E aí temos o Caminho de Luca, calor, frio, cansaço, dores, fome, tudo está ali. Em uma linguagem que vai direto para o coração. E não foi difícil chorar com o personagem nos momentos em que ele estava mais emocionado ou perdido.

Todas as vezes que li a respeito do Caminho de Compostela, sempre ouvi dizer isso, que os peregrinos caminham cerca de 800 km, saindo da cidade francesa de Saint Jean Pied de Port, em busca de um sentido espiritual. Para saber toda a história do Caminho, que é longa, melhor olhar no Wikipédia.

Enfim, durante todo o livro ficamos neste suspense de onde está Rodrigo e quem é Sol, e porque Luca se sente tão intimamente ligado a esta história. Afinal, todos que perguntam porque ele está no Caminho, a resposta é “não sei”. O que é estranho. Quem faz o Caminho tem sempre uma razão e um porquê. 🙂

Mas o livro é curto e fácil de ler, esse pequeno suspense nos faz literalmente grudar no livro até ver o final. ahahahaha. Foi o que aconteceu comigo. Li entre 11:30hs da manhã e 20:30 da noite. Chorei horrores. De alegria e de tristeza, junto com o personagem.

Afinal, conforme Luca vai andando pelo Caminho, ele vai encontrando com outros peregrinos, e também voluntários, pessoas que entendem e ajudam os peregrinos. Gente que está ali apenas para assegurar o bem estar dos que empreenderam essa busca por si mesmo.

Enfim, leia. Um livro delicioso, que termina rápido demais e nos faz querer sentar e conversar mais com o escritor. Para saber detalhes, para abraça-lo e dizer: Cara, que aventura! Ou algo assim… 🙂

Entrou para a minha lista de favoritos, que deve ter agora uns 6 ou 7 livros, no máximo

Nota: 5/5