Patti Smith

Tradução: Alexandre Barbosa de Souza

Editora Companhia das Letras / TAG Livros

São Paulo/SP  – 2018 – 1ª Edição

310 páginas

DSCN5635

Edição de Março de 2018 exclusiva para a TAG Livros, e além do box e da revista, veio também o último lançamento da autora – o livro Devoção, de contos e divagações, traduzido por Caetano W. Galindo, com 125 páginas.

Depois falo do livrinho, porque primeiro tenho que reverenciar a incrível Patti, que com sensibilidade e doçura, conseguiu transmitir toda a perda da inocência e falta de senso da juventude norte-americana de finais dos anos 60.

Jamais teria a coragem que ela teve de sair de casa com uma mala e nenhum dinheiro, indo para Nova York, e vivendo nas ruas, como fez.

Mas foi e conheceu o seu primeiro grande amor e amigo da vida – Robert Mapplethorne – artista e fotógrafo controvertido e espetacular.

Ela conta alguns detalhes de como se conheceram e sobreviveram no primeiro ano, depois a narrativa acelera e ela começa a omitir pontos da própria vida para falar de Robert e sua ambição, seus sonhos e conquistas.

Deixa claro que não fumava ou cheirava, ao contrário de todos os amigos artistas que conheceu na época. Também não tinha dúvidas em relação à sua heterossexualidade, e como Robert foi, pouco a pouco, descobrindo o quanto preferia a companhia de homens, apesar de sempre declarar que Patti era seu grande amor.

A simbiose entre os dois deixa claro como se ajudaram, se apoiaram ao longo dos anos, e como foi difícil para ambos aceitarem que o relacionamento físico havia acabado, mas o amor e a amizade continuavam ali.

Patti foi a precursora do punk rock, mas muitas das suas decisões foram apenas acontecendo, deixando claro que quem é já nasce feito.

Tem que ralar pra caramba, é verdade, mas também não precisa fazer pose ou fingir ser quem não é. Aos poucos, acreditando nas próprias ideias, Patti foi traçando um caminho para o sucesso, desbravando um rock’n’roll mais cru e com sonoridade diferenciada e se transformando em símbolo dos anos 70.

Para quem curte música, poesia e história este é um livro essencial.

O livro Devoção segue na linha de lembranças e referencias da vida da autora, enquanto ela faz uma viagem a Paris para falar com um editor. Também traz esse sentimento agridoce de uma pessoa que viu e viveu muito, mas que olha o mundo com os olhos assustados de alguém que tem muito a dizer e a sentir.

Anúncios