Homero

Tradução: Carlos Alberto Nunes

Editora Ediouro

Rio de Janeiro/RJ  – 2002 – 5ª Edição

431 páginas

DSCN5585

Ilíada é a história da guerra e, como já foi dito antes, um livro para meninos, já a muito mais popular Odisseia, seria um livro para meninas. Calma, antes de ficarmos enfurecidos por esta questão de gêneros, vamos entender o que acontece.

É que o primeiro, apesar de lindo, é difícil de entender e apreender enquanto estória, já a Odisseia é mais fácil. Ainda peço calma pela questão dos gêneros.

O prefácio do livro explica tudo bem bonitinho, inclusive um dos críticos pontua que a Odisseia certamente foi escrita por uma mulher, tendo em vista o melhor planejamento artístico, a disposição concêntrica onde o próprio herói conta as suas aventuras.

Enfim, um livro mais bem escrito.

Vamos ao básico: A Odisseia conta dos 10 anos em que Ulisses, ou Odisseu, demora para voltar para casa após o fim da Guerra de Troia. Passando por percalços como, ficar preso em uma ilha com uma ninfa apaixonada por ele, a ter que contar toda a historia da guerra para um povo sedento de aventura. E só então ele consegue voltar para sua esposa Penélope.

Aliás, antes mesmo de sabermos de Ulisses, temos uma visão do que está acontecendo com a coitada, que precisa lidar com pretendentes que juram que Ulisses está morto.

Aí temos Ulisses voltando, e aí, ele chega em casa beija a esposa e acabou? Não, amores! Ele ainda tem que se livrar do bando que quer se apoderar de sua fortuna e também de sua esposinha… Tudo muito lindo e romântico, mas só lembrando que, a guerra durou 10 anos, ele demorou mais 10 anos para voltar, então não estamos falando de adolescentes apaixonados, ok?

E pensar que a gente acha a nossa vida difícil, né não? 🙂

O livro tem tudo isso e mais para ser importante e famoso, mas o mais legal é que, depois de lermos a Ilíada, sabemos que Ulisses é o herói mais próximo da realidade dos humanos.

Afinal, ele não é semideus, não é lindo ou bacana, ele é o mais inteligente, o estrategista e se vale disso para, inclusive, ter a ideia genial de acabar com a guerra e os troianos com o famoso Cavalo de Troia. Não é a toa que ele é o queridinho da deusa Atena.

Assim, a Odisseia nos mostra todo o lado astuto do herói, nos faz acreditar que, com inteligencia e esperteza, podemos tudo. E esse é o grande apelo do livro.

É claro que, também temos deuses e mitos por todo o poema, mas a história desliza mais fácil diante dos olhos, talvez porque os dilemas sejam tão similares à nossa vidinha.

Claro que é difícil, mas muito mais palatável do que a Ilíada.

Curiosamente, não me lembro de muitos filmes baseados no livro. Temos o filme italiano Ulysses, estrelado por Kirk Douglas, de 1954. Mas obviamente, temos muitos paralelos em livros de heróis e tals. Penso que o herói da DC seria o Batman, já que é o único sem poderes, da Marvel… Hummm, mais difícil né? Quem seria? Sugestões?

Leia também, com calma e paciência. mas leia.

Anúncios