Diz a lenda que era nesta ilha que habitava Calipso, a ninfa que salvou Ulisses de um naufrágio e o seduziu, prometendo imortalidade e amor eterno se ficasse com ela.

Para quem sabe um pouco da Odisséia, Ulisses obviamente foi embora para ficar com a sua Penélope, não sem passar por alguns probleminhas…

Mas não é para falar de Homero ou da Odisseia que estou aqui.

Fiz um passeio até Gozo para conhecer os principais pontos turísticos do local, e já posso dizer que a ilha é maravilhosa.

Bom, primeiro você pega um ferry, que pode ser perto da ilha de Comino, ao norte de Malta, ou voce vai até Valleta – capital do país – que lá também tem. Depois tem ônibus, taxi, ou voce aluga um carro, como fazem muito turistas. Eu fui com o tour da escola para ter uma geral do local, mas quero muito voltar.

O primeiro lugar que visitei fica a oeste, onde antes havia a Azzura Window, uma formação rochosa, um arco, e que desmoronou em março de 2017, durante uma tempestade. O lugar foi cenário do casamento de Daenerys e Khal Drogo, para os aficcionados pelo seriado Guerra dos Tronos. Aí você pega um barquinho – 4,00 euros – e passa dentro de uma caverna, e vê os paredões de pedra, tudo tão incrível que fica difícil explicar. O mar tem um tom tão diferente, e a água é tão limpa. Você consegue ver os corais em formação. Um experiência única, de fato.

Aí paramos em uma cidadezinha que não lembro o nome, para comprar coisinhas…. Tipo, o azeite de Malta que é bem levinho, e também um licor bem famoso, feito da flor de um cacto comum em Gozo.

Paramos também na igreja em que João Paulo II rezou uma missa quando veio ao país. Internamente, achei a igreja bem comum, afinal ela foi construida para o Papa, mas a praça em frente, com suas estátuas e murais, são bem interessantes. Além disso, o entorno é fantástico, com as colinas e casinhas distantes. Um lugar idílico.

Próxima parada: Victoria, a cidade capital de Gozo, antes chamada de Rabat, mudou de nome depois de uma visita da Rainha Victoria do Reino Unido, no século XIX. O local tem registros históricos do periodo Neolítico.

Em torno do ano de 1550, toda a população da ilha foi sequestrada e escravizada. Aí os Cavaleiros de São João Batista decidiram fortificar a cidade, construindo a Citadela no topo da colina, um dos pontos mais altos da ilha.

Sobre estes cavaleiros eu falo outro dia, porque eles sao realmente importantes para a história deste pais.

A cidade é linda e diferente e estimulante. Tem ruas estreitas e muxarabis, revelando a influência árabe, mas tambem alegre e colorida como os italianos. Ao subir nos pontos mais altos da Citadela toda a ilha se descortina e você consegue ver Comino e Malta. Além do horizonte do Mediterrâneo.

Existem várias igrejas católicas, e rola uma competição entre os devotos de São Jorge e os devotos de Maria. Com duas grandes festas anuais e tals.

Caminhamos um pouco e depois fomos para o sul da ilha para almoçar e curtir uma pequena baia de águas transparentes.

Paramos um pouquinho em um mirante para fotos, e depois o guia nos presenteou, nos levando de volta a Malta em um pequeno barco que passou por Comino, e assim conhecemos a Blue Lagoon, com suas águas absurdamente azuis.

Aliás, pude tirar uma foto do local onde foi filmada a nova versão de O Conde de Monte Cristo.

Nao sei se as fotos conseguem traduzir a beleza deste lugar porque, sinceramente, acho meio impossível. 🙂

P.S.: perdoem-me a qualidade e configuração das fotos mas estou postando pelo celular e é um tantinho difícil! 😝