Conhecer as cidades à noite é uma das coisas mais importantes para um turista. Fundamental para se entender como funcionam as coisas quando não há luz do sol.

É claro que, em alguns lugares, você precisa tomar cuidado e tals, mas na Europa, usualmente voce não precisa se preocupar com isso.

De qualquer maneira, minha primeira visita a Mdina foi com o pessoal da EC, que providenciou transporte e também um guia.

Vamos a um pouquinho de história, mas bem básico porque o que interessam são as fotos.. 🙂

Mdina fica na região central de Malta e está no alto de uma colina, não tenho certeza mas acho que é o ponto mais alto da ilha.

Ela tem vários nomes: A Cidade Silenciosa, porque moram apenas cerca de 250 pessoas lá e realmente é tudo muito quieto.

Tambem é a capital da nobreza, pois Mdina foi a primeira capital do país, porém com o crescimento do porto de Valleta, o governo decidiu mudar a capital para lá. Mdina continua com grandes palácios, dos mais ricos do pais. É lá que está o único hotel 5 estrelas, o mais caro daqui, com apenas 18 quartos e tudo o mais que envolve quantias absurdas de dinheiro.

Por ultimo, é chamada de Cidade dos Fantasmas, porque há várias histórias sobre fantasmas que aparecem para os turistas, inclusive nas fotos. Não tive muito tempo de olhar detalhamente minhas fotos, entao se alguém perceber algo, avise!!! To louca pra ver se minha visita rendeu um plus!!! 🙂

Os historiadores acreditam que a região em volta de Mdina foi primeiramente habitada pelos Fenícios, cerca de 7000 a.C.. Este povo começou a contruir as muralhas para forticar a cidade então chamada Maleth, tão importante pela sua posição estratégica no topo dum monte rochoso, e tão longe do mar quanto possível nesta ilha. Séculos mais tarde, durante o domínio Romano de Malta, estes continuaram a desenvolver Mdina (Melita, para os Romanos) e as suas muralhas para proteger o palácio do Governador Romano construído na altura. Mas foi apenas durante a ocupação dos Normandos, após 1091 d.C. que Mdina viria a adquirir a forma mantida até aos dias de hoje. Durante os tempos medievais, foram construídas as grossas fortificações envolventes e o largo fosso. A maioria da arquitetura de Mdina também é dos tempos em que era conhecida como Melita. (tirei esta ultima parte de um site…nao lembro qual)

Possui apenas 3 portões: o principal, usado pelos nobres, o dos escravos, e um outro que nao lembro o nome mas foi aberto pelos ingleses.

O que dizer desta cidade absurdamente linda?

Foi algo como entrar em uma máquina do tempo, a cidade silenciosa mesmo, com suas luzes amareladas, com apenas os carros e algumas câmeras denunciando o seculo XXI.

A atmosfera é fantasmagórica , com o peso da história deste lugar, como se voce pudesse ver guerreiros romanos, mercadores fenícios ou nobres medievais logo ali, ao virar uma esquina ou olhar rapidamente em alguma de suas ruas estreitas.

A cidade (e Malta, como um todo) tem forte influência da cultura árabe. Desde o nome até algumas características de sua arquitetura, como os balcões, que conhecemos como muxarabis.

Curiosidades: acho que muita gente já sabe mas não custa repetir, abaixo tem fotos dos lugares onde foram filmadas algumas cenas do seriado Guerra dos Tronos em sua primeira temporada.

Seus palácios com jardins cercados são incríveis, porém estão sempre fechados pois os milionários donos destas casas nao ficam em Malta.

Quando voltar durante o dia, postarei mais fotos. 🙂