Nora Roberts

Tradução: Renato Mota

Editora Bertrand Brasil

Livro 1 – Dançando no Ar – 11ª Edição

Livro 2 – Entre o Céu e a Terra – 9ª Edição

Livro 3 – Enfrentando o Fogo – 9ª Edição

Rio de Janeiro/RJ – 2016/2017

DSCN1825

Os livros foram publicados inicialmente entre 2001 e 2002, e tem a mesma temática da Trilogia dos Irmãos O’Dwyer, ou seja, bruxas do bem sendo atacadas por um mal maior.

Aliás falei da Trilogia dos Irmãos aqui.

Na verdade, penso que estes três da Magia são um prelúdio para a dos irmãos.

Todos os elementos são similares: são três moças, bruxas do bem, existe uma maldição, e existem os parceiros. A diferença obvia é que elas não são parentes de fato. Mas isso também não é nada de mais.

Vamos para o livros:

No primeiro, temos a história de Nell que é similar ao filme Dormindo com o Inimigo… Pois é, muito similar mesmo, a mocinha está fugindo do marido rico que abusava dela. Ela, inclusive, simula um acidente de carro, então o vilão acredita que ela está morta. Aí ela chega em uma ilha na costa leste que se chama Três Irmãs, e lá acaba conhecendo Mia – a bruxa local – e esta arruma um emprego e um lugar para Nell se alojar.

Aos poucos, o pavor de Nell vai abrindo espaço para o local e suas lendas: a ilha foi criada por três bruxas do bem, para fugir de Salém, na época daquela loucura toda. Existe uma maldição que se não for quebrada, fará a ilha desaparecer da face da Terra e tudo e tal.

A questão é que Nell não quer partilhar seu passado com Mia, porém o delegado da cidada e sua irmã (a terceira bruxa), se aproximam demais dela. Claro que Nell se apaixona justamente por Zack, o delegado da cidade. O moço bom e gentil que não tem nada de magia mas aceita porque viveu desde sempre na ilha.

No segundo livro, entramos em contato com a segunda bruxa – Ripley – irmã de Zack, e achei bem chatinha, porque a moça é o que ela é, e não quer saber dos próprios poderes. Em paralelo, chega na cidade um moço cientista que estuda eventos paranormais e aí a coisa toda se bagunça. Nell está feliz, e Mia segue estudando muito.

O terceiro livro traz a história de Mia, que teve um grande amor na adolescência – Sam, que a abandonou. Logicamente, ele volta para a ilha disposto a reconquistá-la e também ajudar as bruxinhas a acabar com a maldição.

Também não achei grande coisa.

Na verdade, todas as lendas e força da magia que existe na história dos irmãos O’Dwyer, está muito diluída com as bruxinhas.

Nesta trilogia, a força do mal só se aproxima aos poucos e a narrativa acaba perdendo a chance de um suspense bacana. Os personagens são frágeis e chatos mesmo, como no caso da Ripley. Além dos dilemas não terem consistência.

Não convencem. Tudo fica muito para a última hora e puf! Rapidinho se resolve. A não ser no primeiro que tem todo o lance do marido cruel e tudo o mais.

Enfim. Valeu, mas não recomendo para quem curte uma história mais forte.

Anúncios