AS SETES IRMÃS – LIVRO 2 – A HISTÓRIA DE ALLY

Lucinda Riley

Tradução: Fernanda Abreu

Editora Arqueiro

São Paulo/SP  – 2015 – 1ª Edição

DSCN1491

Também está bem barato na Livraria Saraiva.

Como falei aqui, havia comprado os dois próximos livros desta série, então agora vamos falar de Ally, a segunda irmã e também a líder, como a protagonista anterior, Maia, havia citado.

Mais um livro longo, e bem bonito, onde vamos ter mais um pouco das demais irmãs, já que Ally interage mais com as mais novas. E, ao contrário de Maia, não foge dos problemas da vida.

Na verdade, no momento em que volta para casa e fica sabendo da morte do pai adotivo, Ally vive um bom momento na vida: trabalha com o que gosta e acabou de iniciar um relacionamento muito bacana com um cara bem legal.

Então um terço do livro é sobre essa vida mais “legal” da moça. Apesar da tristeza em relação ao pai, ela não se abate e segue vivendo. Ao descobrir que as coordenadas deixadas para ela indicam um Museu na Noruega, e a carta indicar algo sobre o traço musical em sua genética, ainda assim, Ally se mantem no presente e volta para sua vida no mar.

Viajando, velejando e amando. Porém, sua vida sofre um novo revés, e ela acaba voltando para casa, lá investiga um pouco mais e vai atrás de um livro mencionado por seu pai, na carta de despedida. Em paralelo, acaba indo para Noruega, atrás de suas raízes.

Ao conseguir a tradução do tal livro, começa a estória do passado, falando da vida simples de uma camponesa que vivia próxima à Oslo – antiga Christiannia – e sua voz maravilhosa.

Então, pela experiencia do livro As Sete Irmãs, sabemos que Anna (estória do passado) só pode ser uma antepassada de Ally, ainda que a ligação entre elas não apareça rapidamente. E a história vai seguindo em paralelo, com Ally interagindo com outras pessoas ainda em Oslo.

O bacana desta história é que fala mais do que apenas um antepassado pois, após sabermos tudo o que acontece com Anna, Ally consegue acesso ao depois. E entra em contato com parentes de Anna.

E a história vai se desenvolvendo de forma muito bonita e tocante. Temos aí uma relação com a cultura deste país lindíssimo, e com a música de Edvard Grieg – a suite de Peer Gynt, que podemos ouvir no you tube. Sim, é conhecida.

Mais uma vez, a autora nos presenteia com uma cuidadosa pesquisa histórica, em paralelo com o romance, e isso traz mais curiosidade sobre as demais irmãs. Que aparecem bastante mais no final da história.

Alguns fatos curiosos também nos fazem acreditar em alguma reviravolta que se aproxima. Mas para isso teremos que aguardar os demais livros. 😦

Achei este livro bem mais profundo que o primeiro onde a personagem principal é mais atirada e aventureira. Obviamente, alguns fatos logo nos dão pistas do que vai acontecer mas ainda assim, a estória não perde a força.

Li rapidamente, em dois ou três dias apenas, mas valeu a pena.

Em breve lerei o terceiro… 🙂

Anúncios