Geraldine Brooks

Tradução: Claudio Carina

Editora Globo Livros

São Paulo/SP  – 2016 – 1ª Edição

DSCN1473

Este é um dos livros lindos que adquiri este ano. A autora já havia nos presenteado com uma história belíssima. E aí quando li na capa – Autora de As Memórias do Livro – não hesitei, comprei sem nem saber do que se tratava.

Vamos lá!

Enquanto o Memórias fica alternando presente e passado, este livro é todo no passado. Contando a história de Davi – aquele que matou o Golias – pelo ponto de vista do profeta Natã. O mesmo profeta que o acompanhou a vida toda e posteriormente ajudou a treinar e orientar Salomão em seu reinado.

O que dizer deste livro, além dos adjetivos mais básicos: bonito, emocionante, doce, forte, e assim vai.

A autora não paralisa nos momentos ambíguos, como em relação à amizade entre Davi e Jônatas, ou sobre a violência de Davi em suas muitas batalhas. Também passa pela questão do apetite sexual com as  mulheres e todas as suas histórias de luta pelo poder.

Davi salta das páginas da Bíblia e deixa de ser o pastor pequenino frente ao gigante, e também deixa de ser o grande rei judeu que unificou as tribos de Israel.

Pelas páginas do livro vamos formando uma imagem deste homem forte, o primeiro da Bíblia que realmente teve sua história documentada. Um homem que foi subestimado e humilhado pela própria família, amado por um rei, e depois perseguido por este mesmo rei.

Este Davi que liderou inúmeras batalhas e transformou Jerusalém na grande cidade conhecida no mundo todo. Além disso, foi o pai de Salomão, aquele que construiu o templo para guardar a Arca da Aliança, a mesma do primeiro filme do Indiana Jones.

Claro que o livro não segue a risca os preceitos bíblicos, então temos homens e mulheres muito reais, que suam e fedem, que tem medo, ou são vaidosos. Especialmente, sentem raiva e guardam mágoas.

Choram e temem a Deus.

Um livro emocionante que nos traz toda a carga histórica e comportamental de um período porém sem aquele peso usual. A história flui com facilidade, e os dramas e diálogos sempre nos levam a querer saber um pouco mais.

Recomendo até para quem não curte história ou religião. Um livro essencial para apreender a força da cultura judaica do Velho Testamento.

Lembrando ainda que Davi foi tão importante que as profecias do Antigo Testamento afirmavam que o Messias nasceria de uma mulher, da descendência de Abraão, pela Tribo de Judá e da família de Davi. Esta última parte tive que buscar no Google porque, né?! E segundo o Novo Testamento, há toda uma questão teológica e conceitual, mas basicamente coloca Maria e José como descendentes de Davi.

Nem entrarei neste mérito porque não é o caso. Basta lembrar que Davi teve Salomão com Betsabá e, apesar de estar longe na linha sucessória, ainda assim, este filho foi o escolhido por Davi, para reinar sobre o povo de Israel.

Seguindo a profecia de Natã. Que nos conta esta história incrível.

Leiam!