O Pequeno Príncipe de Antoine de Saint-Exupéry

Tradução: Dom Marcos Barbosa   /   Ilustrações: do Autor

Editora Agir/Nova Fronteira

Rio de Janeiro/RJ  – 50ª Edição

Coraline de Neil Gaiman

Tradução: Regina de Barros Carvalho   /   Ilustrações: Dave Mckean

Editora Rocco – Jovens Leitores

Rio de Janeiro/RJ  – 2002 – 1ª Edição

DSCN0643.JPG

Onde comprar:

Já que falei de contos de fadas para adultos no domingo, decidi falar destes dois livros que só li recentemente.

Sobre o Pequeno Príncipe todo mundo sabe e conhece, mas quem já leu? Pra valer? Depois de adulto? Não vale se você leu para alguma criança! 🙂

A questão é que um livro tão famoso e doce acaba por ninguém dar tanta importância, a gente acaba não lendo porque afinal as frases e mensagens estão em todos os lugares. Mas o livro é essencial para resgatarmos nossa infância, nossa visão de mundo tão cínica retorna àquele período em que nossos desenhos tinham significados muito claros, mesmo se os adultos não entendessem.

Comprei uma edição bem simples e fininha, mas recomendo a leitura para este reencontro necessário com você mesmo e sua doçura e imaginação. Nós, adultos, temos que nos esforçar muito mais para ver beleza nas pequeninas coisas. Para ativar a imaginação e ver a doçura e a elegância das coisas básicas da vida.

Especialmente em períodos difíceis, onde tudo é escuro e feio, o nosso Pequeno Príncipe mostra que viver e aprender e se aventurar é muito mais do que qualquer problema! Além do mais, com doçura, conseguimos amigos, e quem tem amigos, tem o mundo! 😉

E agora, Coraline. Sim, este é o livro que deu origem ao filme Coraline e o Mundo Secreto.

Este autor tem feito o que eu chamo de contos de fadas contemporâneos, se é que isso existe. Mas suas histórias são bastante fortes e até cruéis como os contos devem ser, ao nos mostrar os perigos da vida, de forma metafórica.

No caso da nossa protagonista, o perigo está em não valorizar o que temos, mesmo que seja pouco. Assim a menininha, entediada e irritada com os pais por não lhe darem atenção, sai em busca de aventuras na própria casa, onde moram há pouco tempo.

E é na sala que ela descobre uma porta secreta que leva a um mundo onde tudo é mais divertido e melhor. Uma versão melhorada da mãe faz tudo o que a pequena deseja. Mas é claro que tudo tem um preço, e quando Coraline descobre o custo de se ter esta vida melhorada, ela luta contra e perde o que mais ama – os pais verdadeiros.

O livro traz uma versão mais sombria ainda do que o filme, e ela não tem o amiguinho para ajudá-la. Está sozinha com o gato. Porém a intervenção das almas das crianças perdidas é mais ativa.

Foi isso que achei mais bacana no livro. A versão mais sombria, as crianças/fantasmas e o monstro bem monstro mesmo. Além disso, nosso autor tem uma carreira diversificada e também escreveu quadrinhos, portanto a história é ágil.

Porque, hoje em dia, nossas crianças tem que aprender de pequenas que os monstros são reais e precisamos nos defender. E não se pode perder tempo com descrições, pois estas crianças já nascem lidando com smartphones! :O