Roberto Calasso

Tradução: Nilson Moulin Louzada

Editora Companhia das Letras

São Paulo/SP – 1996 – 1ª Edição – 2ª Reimpressão

DSCN9916.JPG

Você consegue comprar diretamente no site da Companhia das Letras.

Comprei este livro por indicação da minha orientadora do TCC no último ano da faculdade, ou seja, faz o maior tempo. De vez em quando releio porque é um livro necessário e lindo.

Trata de mitologia grega e é um livro para iniciados no assunto. Tem que entender um pouco dos principais “personagens”, dos mitos e suas relações com os arquétipos, assim como a interligação com os conceitos do mundo ocidental.

Mas acima de tudo, é lindo. Não tem outra palavra.

Na contracapa já tem a explicação para o nome: nestas núpcias houve o último encontro dos deuses com os homens, sentados juntos à mesa para uma comemoração. Num misto de ficção e ensaio, o autor vai nos brindando com os mitos e histórias tão fundamentais para o entendimento da psique ocidental.

Vamos lá: porque é para iniciados na mitologia grega? Porque não tem aquelas listinhas básicas do tipo, quem é Zeus, qual a sua mulher, os filhos, quem ficou com quem ou quem é filho de quem.

Não. ou antes, sim mas não com uma árvore desenhadinha para melhor entendimento.

O livro segue uma narrativa fluida onde os mitos e personagens vão se entrelaçando como de fato todas estas lendas se ligam. É quase um bate-papo do autor com o leitor.

Do tipo: – Lembra da Helena? Rapaz, a moça era bonita, mas você sabe da história, ela foi a mulher desejada por Páris. Mas antes disso, deixa eu te contar de Afrodite. Ela nasceu de uma concha, porque Zeus…

E assim o livro segue contando cada mito de forma muito tranquila, e vamos passando por duelos, raptos, romances e buscas, querendo que o livro não acabe nunca.

Muitos dos mitos são dissecados e explicados de forma bastante didática, nos dando a real dimensão de como os gregos há mais de 2000 mil anos já entendiam de psicologia como hoje, às vezes, não conseguimos.

Enfim, um livro obrigatório para entendimento de mitologia e de ocidente.

Vale a pena ler e reler, e ter em casa para dar aquela folheada básica e eventual.