Jamie Ford

Tradução: Regina Lyra

Editora Nova Fronteira

Rio de Janeiro/RJ – 2010

dscn6800

Esta semana decidi escrever sobre os livros que falam de família.

Existem vários na minha estante, mas estes foram os marcantes, por assim dizer.

Bom bem bom…

Este livro é lindo, e conta uma história pouco conhecida: vocês sabiam que, na segunda guerra mundial, os japoneses residentes nos EUA, e seus descendentes, foram para “campos de confinamento”? Pois é. Eu não sabia.

Neste livro fiquei sabendo.

Sinopse: um senhor descendente de chineses, mora em Seattle e vê uma reportagem sobre um hotel que ficou fechado desde a II Guerra, e tem caixas e caixas de famílias japonesas.

Isso faz com que ele, já um senhor viúvo, volte ao passado e relembre sua história.

O livro passa no agora do senhor Henry Lee, e no passado, quando ainda garoto é obrigado a se relacionar com uma japonesa da mesma idade.

Lembrando: chineses e japoneses têm um longo histórico de revolta entre si, não se relacionam. E na segunda guerra, o grande medo dos chineses era justamente de serem confundidos com os japoneses, por motivos óbvios.

Aos poucos Henry vai ficando amigo de Keiko e, em paralelo, temos o velho Henry as voltas com o filho que não o compreende.

A história toda é de uma doçura um tanto amarga, pois vamos imaginando o relacionamento das duas crianças e depois… Depois você tem que ler. Mas a relação dos pais de Henry, a família de Keiko, e depois, a própria família de Henry, nos leva a pensar em como as relações familiares permeiam nossas escolhas e nosso futuro.

Super recomendo a leitura para quem gosta de um tantinho de historia misturado a romance e drama.

E o final? Emocionante!