Como eu era antes de você

Jojo Moyes

Tradução: Beatriz Horta

Editora Intrínseca

Rio de Janeiro/RJ – 2013

Depois de você

Jojo Moyes

Tradução: Adalgiza Campos da Silva

Editora Intrínseca

Rio de Janeiro/RJ – 2016

depoisdevc

Bom, o primeiro livro é comovente. A menina meio doidinha, sem rumo na vida.

Bem humorada, com gosto duvidoso para moda, e que se considera até mesmo burra, precisa de emprego e, com a atual crise na Europa atingindo as pequenas cidades inglesas, as opções são poucas e ruins.

Lou Clark parece daqueles personagens que a gente não dá muito valor, porque é raso, sem grandes nuances. Mas aí tem o namorado atleta que sutilmente diminui a menina. A família também faz isso, de forma amorosa, mas faz.

Tem a irmã inteligente mas um tanto folgada.

Enfim. A gente começa a se ver nesta menina, toda vez que nos diminuímos ou que aceitamos as pequenas humilhações cotidianas.

Aí a moça acha um emprego mágico: fazer companhia para um tetraplégico por um salário excelente, por apenas 06 meses, depois disso, tchau e benção!

Não precisa dar banho, nem cuidar, apenas fazer companhia.

Só então conhecemos Will, o tal tetraplégico. Que segue exatamente a linha que a gente espera: ignora Lou, despreza Lou, briga com Lou… E aí.

Eles ficam amigos, dentro de todas as impossibilidades (claro!), eles se tornam grandes amigos, e aí sim a história se desenvolve.

Ah! Bem, claro que tem muitas risadas, Lou é daquelas personagens cativantes que vai te envolvendo e logo você começa a imaginar e torcer para ser sua melhor amiga, assim você pode dar uns puxões de orelha. E o Will, sim, ele é o cara lindo, inteligente e rico, e muito sarcástico, e que dó estar tetraplégico.

Parece uma leitura leve, né? Não é! Com um final agridoce, vale pela dose de realidade que apresenta, mesmo com o toque de final feliz. Acredite! Não termina como você está imaginando.

Sobre o segundo livro:

Segundo a autora, o “Depois de você” só foi escrito após pedidos insistentes de fãs, e que a história veio depois de muito se pensar.

Enfim, acho que o segundo livro perde bastante do humor e da inteligencia dos diálogos que havia no primeiro. Talvez por faltar um personagem irônico e sofrido.

Não quero falar demais e estragar todas as surpresas, mas o primeiro livro já tem data para estrear o filme, então leia logo.

Sinceramente achei um tanto desnecessário, e também ficou dentro de um certa realidade. Mas, na boa, ou faz romance açucarado, ou faz dramalhão. Porque o meio-termo não costuma dar muito certo.

Temos uma Lou desanimadinha, sem todo o charme e bom-humor… E a história demora um tanto para engrenar, mas vá lá, começa a ter um apego.

Enfim, enfim… Leia o primeiro, e se ficar muito curioso, leia o segundo.

Senão, parta para outras histórias! 😉