A série tem seis livros: cidade dos ossos; cidade das cinzas; cidade de vidro; cidade dos anjos caídos; cidade das almas perdidas e cidade do fogo celestial.

Cassandra Clare

Tradução: Rita Sussekind

Editora Galera Record

Rio de Janeiro/RJ – 49ª Edição (cidade dos ossos)

shadowfinal

Só me interessei pelos livros depois de assistir a primeira temporada da série Shadowhunters, porque na medida em que fui assistindo vi que já tinha visto algo parecido, no caso, o filme bem ruinzinho que, aliás, nem terminei de assistir. A série é melhor. Daí para os livros, foi óbvio, atiçou a minha curiosidade.

A leitura é bem dinâmica, e como estou acostumada, li os seis livros em aproximadamente 10 dias, isso nos meus horários livres. É uma série adolescente, tanto quanto crepúsculo, e tem também os elementos de fantasia, mas é um pouco mais estruturado.

Resumo básico: existem três instrumentos mortais que estão sendo procurados pelo vilão-mor, sendo elas:

  • o cálice mortal: pode criar novos shadowhunters e controlar demônios, foi escondida pela mãe da Clarie (personagem principal);
  • a espada: te obriga a dizer a verdade, e está de posse dos shadowhunters;
  • e o espelho: ninguém sabe para que serve, e está sumido há séculos.

Se a pessoa estiver de posse dos três objetos pode chamar o anjo Raziel (que criou os tais caçadores das sombras = shadowhunters) e este concederá um favor àquele que o chamou.

Spoiler a seguir, cuidado!

Apesar de tudo isso, o foco principal é no romance do casal que, no final do primeiro livro, descobre sobre a própria família e – pasmem – são irmãos! COMASSIM!!!

Excelente sacada da autora que nos faz querer ler o restante da série, porque não é possível que o casal principal não pode ficar junto, por uma bobagenzinha como incesto. 🙂

Fica nítido que autora cresce junto com os livros, sendo que os três primeiros são mais fracos em termos de enredo e personagens, e os três últimos já tem maior significado. Os personagens são bem mais plausíveis, mesmo se tratando de anjos, vampiros, lobisomens e etc.

As capas são lindas, e a leitura fácil para quem não quer nada muito sério. Recomendo. Especialmente se quer começar a gostar de ler.

A série rendeu bastante para a autora tanto em dinheiro quanto em reconhecimento, porque ela já lançou uma trilogia dentro do mesmo universo, porém se passando alguns séculos antes – As Peças Infernais – ainda não li, mas está na meta de 2016.

E acaba de lançar o primeiro livro de outra trilogia, meio que continuando a história, cinco anos depois do fim de cidade do fogo celestial, o que tem certa lógica tendo em vista o final do livro.

Enfim, senta que lá vem mais história… 😉