não gosto muito de escrever sobre filmes porque, apesar de adorá-los, não vou muito ao cinema.
e também adoro os de hollywood, então não sou exatamente a pessoa certa para falar de cinema.
bom.
gosto muito de tarantino e almodovar.
sou fã de billy wilder, pra quem não sabe, trata-se do diretor de “se meu apartamento falasse”, “quanto mais quente melhor”, e outros.

mas tem um filme que assisti de novo hoje, e é fora do padrão.

é esse do titulo do blog, preto e branco, o filme é da decada de 50, com henry fonda no papel principal.
são 12 homens que participam de um juri, que condenará ou nao um garoto à cadeira eletrica.
toda a ação se passa numa salinha do forum de nova york, no dia mais quente do ano, com ventiladores que não funcionam.
numa decada em que a maioria dos homens usa paletó e gravata.

vale destacar o paleto clarinho, aparentemente de linho, que henry fonda usa no filme.
ao longo do filme, o jogo de cameras vai se fechando nos rostos dos atores, tornando o ambiente ainda mais tenso e claustrofobico.

todos tem certeza que o garoto é culpado, porem henry, tem a tal da duvida razoavel.
sua obrigação é convencer os 11, enfrentando o calor, a impaciencia, intolerancia, preconceito, indolencia, tolices… e brigas
varias delas.
o filme é tao bom que já foi refilmado diversas vezes.
acabei de googar: 12 andry men, 1957 diretor-sidney lumet.

varios premios e indicações mundo afora. concorreu a tres oscars.
enfim. um classico, pq é atemporal, atual e absolutamente possivel.

hoje em dia, presto muita atenção nas cameras.
hoje entendo que, mais do que a atuação, é o jogo de cena que faz o cinema melhor.

claro que bons atores ajudam, efeitos especiais tbém…
mas na minha humilde opiniao, tarantino é especial por isso.
e não é que eu nao tenha gostado de titanic ou avatar.
é só que…
não tem tanto apelo para mim. sou louca? devo ser, mas eu avisei antes que não entendo de cinema, né não?

ah! lembrei de outro que gosto muito: peter jackson, da trilogia do senhor dos aneis e king kong.
é isso.

Anúncios