já havia avisado que estava redescobrindo meus livros né?!
hoje é dia… ou noite. de escrever sobre o que li.

carmen
ruy castro
editora companhia das letras
2005

comprei este livro há um ano, por ocasião do centenario de aniversario desta mulher fenomenal.
é raro eu gostar de ler biografias.
primeiro pq a gente já sabe o final.
segundo pq eu fico triste, com a vida ou sobrevida que a pessoa teve…

bom, mas acontece que eu costumo prestar atenção em coincidencias, justamente porque não acredito nelas.
nesta mesma época, no ano passado, bateu-me vontade louca de ouvir de novo alguns cds do ney matogrosso, que amo, e um deles, tem lá os sambas imortalizados na voz de carmen.
na mesma semana, zapeando os canais pego o final de um documentário sobre a vida desta mulher fenomenal.
o filme Carmen Miranda – Bananas is my Business (Helena Solberg, 1994) é lindo e triste, mostrando até mesmo a ultima cena gravada por Carmen, horas antes de sua morte solitária…

bom.
passam-se alguns dias e vou ao meu passeio preferido… na saraiva, e me deparo com uma biblia, e ela, absoluta, com as mãos voltadas para cima, na tipica pose de baiana e seu turbante de orquideas rosas.
irresistivel.

porém demorei este tempo todo para ler, porque.
ah! sei la porque.
minha mãe leu antes. e amou, e elogiou horrores.

e aí o livro ficava aqui, ali, acabei começando e foi outro livro a me fazer perder noites de sono.
delicado, incisivo, divertido, triste.
tudo isso ruy castro coloca diante de nós, de maneira deliciosa.
um rio de janeiro dos anos 30, auge do samba e de grandes cantores.
eua dos anos 40, da guerra, de hollywood, e mais ainda, de carmen.
generosa, picante e ingenua.
generosa na voz, nos gestos e nas atitudes.
picante nos palavrões, da dança sedutora e nas roupas cada vez mais ousadas.
e ingenua o bastante para achar que o casamento era pra sempre.
mesmo com um marido nada a ver com ela.

da primeira a ultima pagina, o que se sente é um amor absoluto por esta mulher.
pela sua luz que brilha até hoje.
carisma não se encontra em qualquer lugar e o desta mulher, definitivamente, veio em proporções que até hoje não se igualou.
em uma época ainda não tão imediatista como esta, mas superpovoada de astros, carmen brilhou e encantou.
deixou este mundo melhor e mais alegre, mesmo nos dias em que certamente ela não vivia.
apenas sobrevivia ao furacão que sua vida se tornou nos ultimos anos.

triste também foi ficar lembrando do fim de diversos artistas primorosos e especiais, tais como, linda e dirce batista, dalva de oliveira, noel rosa, francisco alves, silvio caldas…
enquanto nos outros paises, os artistas são quase santificados, aqui no brasil, vemos o descaso em relação ao nosso poder.
sim.
se temos ivete e claudia, e marisa monte e tantas maravilhas.
antes tivemos estes exemplos incriveis de emoção, charme e samba, na voz e no pé!

bing crosby é até hoje reverenciado como um dos maiores cantores de todos os tempos, frank sinatra, marilyn, madonna… todos muito bem guardados, e relembrados com o pagamento de royaltys conforme a lei.
e nossos artistas…. bom, não gosto de falar porque fico triste. mesmo.

em sua época, os jornalistas do brasil renegaram a nossa carmen, dizendo que ela tinha voltado americanizada.
mas carmen conseguiu o que poucos artistas estrangeiros conseguiram nos EUA.
carmen conseguiu conquista-los, e quando estes a transformaram em um produto norte-americano, ainda assim, ela os superou, e sobreviveu a sua imagem de baiana.
a sua graça e charme inigualaveis. se transformando a cada espetaculo, mesmo que estivesse caindo de cansaço.

o brasil prestou uma homenagem tardia, porem sincera.
um amor incondicional pela pequena notavel.
pela primeira e unica bombshell

porém depois…
temos que dar graças a nossos artistas como ney, marisa monte, e outros que continuam gravando e honrando a memória desta deusa suprema do samba.

tá vendo! eu fico triste, pois mesmo com todo o talento, toda a alegria, e todo o amor que a nossa portuguesa mais brasileira teve, ainda assim, sua vida foi curta demais, rapida demais, intensa demais.
e o fim, dolorido demais.

chorei aos cantaros…
de impotencia, porque queria ter vivido naquela epoca, te-la conhecido, te-la ajudado.
te-la imitado…
sei la
fiquei triste de novo.

mas ainda assim, feliz, porque esta mulher ainda hoje nos ensina que alegria é o melhor de tudo.

“O Que é que a baiana tem?

Tem torço de seda, tem!
Tem brincos de ouro tem!
Corrente de ouro tem!”
dorival caymmi – especialmente para nossa carmen que a cantou vezes sem conta…

tristemente